MEU CARRINHO
O meu Carrinho está vazio

SUPORTE

Newsletter

Revisão Semanal DIPOL – TV e SAT TV, CCTV, WLAN
Nº 36/2023 (6 de Novembro de 2023)
Câmara supercondutora com resolução de 400.000 pixéis. Investigadores do Instituto Nacional de Padrões e Tecnologia (NIST) revelaram uma nova câmara com resolução de 400.000 pixéis que pode redefinir a nossa visão do universo. A criação pelos investigadores de uma nova câmara com resolução de até 400 mil pixéis representa um enorme avanço neste campo da ciência. Isso é 400 vezes mais do que nos protótipos anteriores. O dispositivo oferece precisão incomparável na captura de luz azul fraca. Ao contrário das câmaras tradicionais, que usam sensores de estado sólido para capturar um amplo espectro de luz, as câmaras supercondutoras podem detetar fotões únicos, tornando-as extremamente eficazes na captura de sinais de fontes de luz fraca. As câmaras são arrefecidas até quase zero absoluto. A esta temperatura, a corrente elétrica flui sem resistência, fenómeno conhecido como supercondutividade. Quando um fotão (uma partícula de luz) atinge o detetor da câmara, ele interrompe o fluxo num determinado pixel. Ao mapear essa interferência, os cientistas podem criar uma imagem completa do objeto visualizado pela câmara.
Até agora, adicionar mais pixéis às câmaras supercondutoras tem sido um grande desafio. Para que cada pixel da câmara funcione corretamente, ele precisa da sua própria conexão com o sistema de refrigeração. Com centenas de milhares de pixéis, isso parecia quase impossível. Ao combinar sinais de múltiplos pixéis em apenas alguns nanofios, a equipa conseguiu contornar esse problema. Um único fio pode ler dados de uma linha ou coluna inteira de pixels de uma só vez, onde cada ponto de interseção é um pixel. Os detetores podem detetar diferenças no tempo de chegada dos sinais da ordem de 50 trilionésimos de segundo, eles também podem contar até 100.000 fotões por segundo atingindo a rede. Usando essa abordagem, a equipa conseguiu detetar rapidamente qual pixel é ativado por um fotão. Com uma câmara tão poderosa, as possibilidades são enormes. Durante o próximo ano, a equipa planeia aumentar a sensibilidade da câmara, na esperança de capturar praticamente todos os fotões recebidos.
Deteção inteligente de movimento em dispositivos Sunell. A tarefa mais importante de um sistema de deteção de movimento é detetar a entrada de uma pessoa ou veículo na área monitorizada. Cada deteção de movimento pode gerar um evento de alarme (por exemplo, notificação ao utilizador, guarda ou operador) e iniciar a gravação de vídeo.
A deteção de movimento tradicional baseava-se em mudanças na intensidade da luz que atingia um sensor de pixel (ou grupos maiores de pixéis). Cada mudança de luz acionava a deteção para que o sistema também captasse o movimento de objetos que não são importantes do ponto de vista da segurança. A deteção de movimento comum era sensível, por exemplo, ao movimento das folhas ao vento, à passagem de insetos, pássaros, sombras ou precipitação.
A função inteligente de deteção de movimento dos dispositivos Sunell funciona com dados de deteção tradicional, mas analisa eventos para detetar o presença de pessoas ou veículos. As notificações de alarme da deteção inteligente de movimento são configuradas independentemente da deteção tradicional, portanto, apenas as notificações corretas são enviadas. Isto aumenta o desempenho de todo o sistema e reduz o número de falsos alarmes que chegam ao utilizador. Além disso, as gravações armazenadas num DVR compatível podem ser facilmente pesquisadas quanto à presença de pessoas ou veículos.
Televisão terrestre DVB-T2/HEVC num sistema SMATV com recetores padrão DVB-T/MPEG-4 legados. A necessidade de receber sinais DVB-T2/HEVC não deve tornar necessária a substituição da antena recetora. Na maioria dos casos, tal sistema requer uma atualização no lado do recetor – se as TVs não suportarem o padrão DVB-T2 com o codec HEVC (também conhecido como H.265 ou MPEG-H parte 2) e não não processa áudio codificado de acordo com o padrão E-AC-3 (também conhecido como Dolby Digital Plus ou DD+). Embora no caso de um sistema pequeno com uma ou várias TVs não deva haver problema (basta comprar um decodificador DVB-T2/HEVC conectado via saída HDMI), pode ser um grande problema para um número maior de TVs, principalmente em pensões, hotéis e similares.

Antena Profissional VHF e UHF DVB-T/T2 (H/V): DIPOL 28/5-12/21-48Repartidor 6-Saidas Signal R-6Recetor DVB-T/T2: SIGNAL T2-BOX DVB-T2 HEVCModulador HDMI - COFDM (DVB-T): WS-7990 (4 canais)Modulador HDMI - COFDM (DVB-T): WS-7992 (2 canais)Repartidor 2-Saida TV/FM Signal R-2
Diagrama de um sistema de TV que permite receber sinal DVB-T2/HEVC e convertê-lo para o padrão DVB-T/H264. O sinal da antena DIPOL 28/5-12/21-60 DVB-T/T2 A2810 foi distribuído via divisor R60106 para 6 decodificadores DVB-T2/HEVC A99314. Em seguida, o sinal em resolução Full HD (1920x1080-30p) é alimentado nos conectores HDMI dos moduladores WS-7992 R86702 e WS-7990 R86704 e modulado para DVB-T COFDM. Tal sistema permite a distribuição de 6 programas DVB-T2. Para distribuir mais canais no sistema, outros moduladores e descodificadores deverão ser instalados. Um descodificador e uma entrada HDMI do modulador possibilitam a introdução de outro canal no sistema no padrão legado DVB-T. A vantagem desta solução é a separação de uma sala central a partir da qual o sinal DVB-T é distribuído para todo o sistema de TV.
Refletância e atenuação de reflexão do conector. A medição reflectométrica fornece uma gama de informações sobre a linha medida. Um dos parâmetros medidos é a chamada refletância de um determinado incidente analisado no caso de elementos refletivos: conectores e emendas mecânicas, entre outros. Por definição, a refletância é a razão entre a potência refletida por um objeto e a potência incidente nesse objeto, expressa em decibéis. Como a potência do sinal refletido será sempre menor que a potência do sinal incidente, os valores de refletância assumirão valores negativos.
O conceito de refletância é frequentemente confundido com a chamada perda de retorno (RL). A definição deste parâmetro é praticamente idêntica, tendo em conta o sinal negativo: RL = -10log (Podb/Pwe) que descreve o valor de atenuação a que o sinal refletido está sujeito num certo sentido.
Por exemplo, de acordo com a IEC 61300-3-6, os melhores conectores (os chamados "Grau 1") devem ter uma atenuação reflexiva mínima de 60 dB. Quanto maior o valor, melhor. Isto corresponde a valores de refletância de -60 dB e inferiores. Quanto menor o valor, melhor. Isso significa que a potência do sinal refletido é um milhão de vezes menor que a potência do sinal incidente no conector!
Reflectómetro Ultimode OR-20-S3S5-iSMV OTDR L5830 mede a refletância, que deve ser < -60 dB para conexões do tipo APC e < -45 dB para conexões do tipo PC. Caso sejam registados valores piores deste parâmetro, é aconselhável limpar os conectores, e caso não traga os resultados desejados, substituir os pigtails e o adaptador de centralização.
Ativação em lote de dispositivos de rede Hikvision e alteração dos seus endereços IP com SADP. SADP (Search Active Device Protocol) é um software gratuito e fácil de usar projetado para pesquisar câmaras IP e DVRs Hikvision e videoporteiros na rede local. Com ele é possível modificar os seus parâmetros básicos de rede, ativar dispositivos e alterar ou restaurar senhas. O SADP é particularmente útil na construção de grandes sistemas de CCTV ou de vídeo porteiro. Os dispositivos recém-adquiridos devem ser ativados através da atribuição de senhas. Além disso, os endereços IP dos dispositivos são repetidos para que haja conflito de endereços IP quando todos estiverem conectados à rede ao mesmo tempo. Embora no caso de alguns dispositivos seja possível conectá-los um por um, ativar e alterar o endereço IP através de um navegador (se o dispositivo tiver servidor web integrado), para grandes, por exemplo. Sistemas de CCTV com 32 câmaras IP seriam muito trabalhosos e demorados. Depois de conectar todos os dispositivos, o SADP em execução na rede local irá detetá-los como inativos. Selecionar todos eles permite uma rápida ativação em lote dos dispositivos, atribuindo uma senha de administrador. Para DVRs também é necessário inserir a senha de ativação das câmaras. Após a aceitação, aparecerá uma janela confirmando a ativação dos dispositivos.
Visualização da janela de ativação e processo concluído corretamente.
Quando esta etapa for concluída, você poderá prosseguir para o endereçamento em lote dos dispositivos. Para isso, selecione todos os dispositivos e preencha os parâmetros da rede, conforme imagem a seguir. Os dispositivos serão endereçados um por um a partir do endereço IP inserido. Ao inserir a senha com a qual as câmaras foram ativadas, aparecerá uma janela com informações sobre as alterações.
Visibilidade em redes sem fios. É importante perceber que o alcance de uma rede sem fios depende de muitos fatores, alguns dos quais podemos influenciar e outros são desconhecidos. A zona de Fresnel é um dos conceitos mais importantes que aparecem em assuntos de rádio com os quais deve estar familiarizado. É a área ativamente envolvida na transmissão da energia do sinal de rádio. A forma desta área em secção longitudinal é uma elipse e em secção transversal é um círculo. O raio deste círculo varia ao longo de todo o link de rádio e assume um valor máximo no meio da distância entre as antenas. A primeira zona de Fresnel é a mais importante, pois é nesta zona que é transmitida quase toda a energia do sinal de rádio.
O raio da secção transversal de cada zona de Fresnel é maior no centro da zona e diminui até o ponto da antena em cada extremidade. O raio máximo da primeira zona de Fresnel geralmente é uma informação útil. Ocorre a meio caminho entre o transmissor e o recetor.
Objetos (colinas, árvores, prédios, etc.) localizados nas zonas de Fresnel têm um grande impacto na propagação das ondas (principalmente se estiverem na primeira zona). Quanto mais e maiores forem, piores serão as condições de transmissão do sinal. Para links com maior confiabilidade operacional, toda a área da primeira zona de Fresnel deve estar livre de obstruções.
Na prática, garantir a pureza de 60% da 1ª zona de Fresnel garante perda mínima de energia.
Link configurado corretamente – visibilidade das antenas e ausência de obstáculos na primeira zona de Fresnel.
Novos produtos oferecidos pela DIPOL
LNB Ótico LWO102 4F31 E 1 × 4 dBm FP 1310 nm TERRA
Conversor Ótico LWO102 4F31 E 1x4 dBm FP 1310 nm TERRA A3033 é usado para criar sistemas SAT usando tecnologia de fibra ótica e transmissão no comprimento de onda de 1310 nm (janela de transmissão II). O conversor ótico LWO102 4F31 E TERRA permite a transmissão de sinais SAT. Esta tecnologia distingue-se pela baixa atenuação, baixa interferência e, o mais importante, permite transmitir sinais por longas distâncias.


Recetor Ótico ORD301F E com banda larga + DVB-T2 + 2x saída dSCR/Unicable TERRA.
Recetor Ótico ORD301F E DVB-T2 com banda larga + DVB-T2 + 2x dSCR/saída Unicable TERRA A3139 permite a conversão do sinal ótico proveniente do transmissor ótico num sinal elétrico. O sinal é recebido do transmissor ótico através de uma rede de fibra ótica passiva e convertido novamente no sinal IF original. O dispositivo possui 5 saídas. Nas saídas marcadas como V – polarização e H – polarização horizontal, o sinal de RF recebido é o mesmo de um conversor de banda larga padrão. Com saídas dSCR, pode dividir o sinal usando um único cabo coaxial na tecnologia dSCR/Unicable, enquanto na saída TDT tem um sinal DVB-T2/DAB/FM. Esses recetores são frequentemente conhecidos como "conversores virtuais".
Fibra de Lançamento SC/APC-LC/UPC de 150 m ULTIMODE FLC-150-SCA-LCU
Fibra de Lançamento SC/APC-LC/UPC de 150 m ULTIMODE FLC-150-SCA-LCU L58514 foi projetado para medições reflectométricas em sistemas de fibra ótica. Permite eliminar a zona morta do OTDR no início da secção de medição. Também permite a medição adequada do último conector no caminho ótico.


Vale a pena ler:
Transmissão de sinais de satélite DVB-S2X/S2/S em fibra monomodo. No caso de um barramento de fibra ótica, o o tamanho da instalação na qual o sistema é implementado é irrelevante. O sinal pode ser transmitido por centenas de metros ou até dezenas de quilómetros sem regeneração. Para grandes edifícios, isto simplificará enormemente a espinha dorsal do sistema. Um sistema convencional, baseado em fios de cobre, permite que o sinal seja transmitido na linha tronco por várias dezenas de metros. Esta distância pode ser aumentada através da utilização de amplificadores, embora também tenha algumas limitações (bem como custos de implementação e operação)...>>>mais
Exemplo de sistema de fibra ótica utilizando conversor ótico LWO102 4F31 E A3033 com potência de +4 dBm para distribuição de sinais de satélite DVB-S2X/S2/S em fibra monomodo no comprimento de onda de 1310 nm.

Sistema de fibra ótica para câmaras instaladas em postes.
CAIXA DE CCTV SIGNAL
surpreendentemente espaçoso
 
SUBSCRIÇÃO
Se esta interessado em receber a nossa Newsletter semanal por email, insira o seu endereço de email:
 
 
NA EDIÇÃO ANTERIOR
ARQUIVO NEWSLETTERS
PROMOÇÃO
NOVOS TÍTULOS
PARA SABER MAIS